Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cruz de ferro

Quando eu morrer não dêem a cruz de ferro
Que identifique o local onde tombei.
Também não quero a solidão dos cemitérios
esse promíscuo lupanar de vermes
sem horizontes, sem amanhã, sem leis.

Também não usem os bálsamos do oriente
no putrefacível ser que então serrei.
Repasto fácil de feras até prefiro
pois desta forma algum benefício
a um cão vadio ou a chacal do ermo
com a matéria  sua fome saciarei.

Mas não! Melhor será o fundo tépido da terra
Nua. Onde no tempo certo, ao pó retornarei.
Depois o olvido e à energia cósmica,
num vôo cego, num comprazer de aurora,
ao todo nunca, ao sempre nada
O caminho certo da verdade encontrarei



Vinícius Lena
Enviado por Vinícius Lena em 01/09/2007
Código do texto: T634131
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vinícius Lena
Barreiras - Bahia - Brasil, 87 anos
467 textos (28180 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/17 02:43)
Vinícius Lena