Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

*OLHOS VENDADOS*

Saltei com olhos vendados
O mundo me pertencia
Flutuei duas vezes neste espaço
O solo não me arrebentou
Arrebatou-me com vida
Teve dó do náufrago
Sem água para amenizar a dor
Deixou-me suspensa
Como uma flor sem cor
Até acordar da letargia
E caminhar com
A mesma purificação
Que iniciou...

A sede de viver, querida amiga,
Permite em labirinto uma saída,
Deixando que esta estrada enfim prossiga,
Porém nos marca sempre pela vida.

Sobrevivi também à dura queda
Embora com fraturas, luxações.
Nem mesmo uma tristeza eterna veda
Os olhos de quem vive as ilusões

Como se fossem náufragos perdidos
Nos mares mais distantes, nos atóis.
Os sonhos tantas vezes são urdidos

Apenas como simples girassóis.
Bebendo, neste instante, num momento,
A vida como fosse um cata-vento.

SOGUEIRA
Marcos Loures

Sonia Nogueira
Enviado por Sonia Nogueira em 01/09/2007
Código do texto: T634202

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Sonia Nogueira
Fortaleza - Ceará - Brasil
2363 textos (128600 leituras)
13 e-livros (685 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 02:29)
Sonia Nogueira

Site do Escritor