Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A DOR DA SOLIDÃO

Tranquei-me no quarto
Não queria ouvir o vento
Nem tampouco sorrir para a lua
Queria apenas que o tempo passasse
E ter esperança de que amanhã voltaria a viver
Assim como se nada realmente tivesse acontecido
Normalidade era o que pretendia pro dia próximo
O travesseiro cobria-me os ouvidos
Mas o coração insistia em falar tão alto
Os olhos fixados no telhado
Boca seca, gosto amargo
Como saberia que a solidão traria tantas moléstias?
Mas não era eu que há pouco sorria pra vida?
Condenava qualquer melancolia
Era o rei da alegria
Aquele era mesmo eu
Mas as lágrimas cruzam altivas
Toda a minha face, antes risonha
Uma chamou-me a atenção ao descer tão pausadamente
Decerto não queria abandonar-me
Mas de fato não poderia ficar só em minhas exaustas pálpebras
Os olhos se fecharam lentamente
O sono não vira na noite passada
A alma temerosa, aflita, suplica...Quer sonhar enquanto dorme
O dia clareia e me faz companhia
O sol ilumina meu olhar e seca o semblante encharcado
Traz-me novamente a pujança necessária
Sei que vivo.
E a solidão se evade
Pensamentos livres, pessoas me rodeiam
Algumas até lançam-me olhares extasiados
E é o que me faz sentir a essência da vida mais uma vez
Espero que a noite nunca mais chegue
Renan Gebatty
Enviado por Renan Gebatty em 03/09/2007
Código do texto: T636512

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Ex: cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Renan Gebatty
Bom Despacho - Minas Gerais - Brasil, 31 anos
31 textos (5228 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 11:52)
Renan Gebatty