Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Perdido Em Mim Mesmo

Eu sou um completo idiota
Perdido em meus erros
Às vezes só,
Às vezes triste
Mas sempre verdadeiro
Tirando da alma a poesia
Sentindo a dor nesse coração
Provando a amargura por inteiro
Será que um dia você vai me escutar?
Poderia você algum dia me aceitar?
Talvez você nunca vá acreditar
Mas se isso fossem artes cênicas
Veria-me sangrar
Voltando a realidade não há nada
Faço a sinceridade
Enquanto cospem na cara
Dou o melhor de mim
Nessa vida errada
Tento ser o mais puro
Para provar a vida amarga
Onde está a verdade?
Onde está a graça?
Amor é um sonho
No dicionário a primeira das palavras
Ignore-me se quiser faça o que poder
Assim como cristo
Não agradou a todos
Não sou eu que o farei não é?
Leve me a um corredor polonês
E faça me sangrar até morrer
Mas serei fiel aos meus ideais
Cabe a você entender ou não
Entender
Estou perdido em mim mesmo
Já não é mais cedo
E aonde quer que eu vá
Mate-me ou ensine-me a amar
Eu só queria apagar essa dor
Dê um pouco de amor
Leve-me com você aonde quer que eu for
Estou perdido em mim mesmo
Já não é mais cedo
E aonde quer que eu vá
Mate-me ou ensine-me a amar
Eu só queria apagar essa dor
Dê um pouco de amor
Leve-me com você aonde quer que eu for
A alma escapa tristeza vaza
Como podes nunca acreditar em mim
Em eu não veres nada
Estou perdido em mim mesmo
Já não é mais cedo
E aonde quer que eu vá
Mate-me ou ensine-me a amar
Eu só queria apagar essa dor
Dê um pouco de amor
Leve-me com você aonde quer que eu vá
Eu só queria o teu beijo
Teu abraço, teu olhar.
E não ser uma droga filho da puta superstar
Meu quarto minha casa estão vazios
Eu apenas observo os fantasmas em um dia frio
Eu não tenho nada
Eu apenas ando só
Cruzando o mundo de norte a sul
Apenas minha sombra ao meu redor
Os pés em cacos de vidro e
Na cabeça a chuva que encobre o céu
Que antes era azul
Estou perdido em mim mesmo já não é mais cedo
E aonde quer que eu for
Mate-me ou ensine-me a amar
Eu só queria apagar essa dor
dê um pouco de amor
Leve-me com você aonde quer que eu vá
Estou perdido em mim mesmo
Já não é mais cedo e aonde quer que eu vá
Mate-me ou ensine-me a amar
Eu só queria apagar essa dor
Dê um pouco de amor
Leve-me com você aonde quer que eu vá
Ninguém sabe o que é ter chagas
Ser o filho da puta ucraniano
Alvo de risadas
Carregar o mundo nas costas
E ter sempre nada
Fazer planos e vê se dissolver em água
Acreditar ter esperança e no final ter nada
Mas eu não me entrego eu não paro
Eu não desisto
Eu não calo o melhor é aquele que acredita
Que há sempre como tentar
Controla a dor por dentro
Mas vai continuar
Traduzir em frases
A própria vida
Eu preciso tentar
Lutar até o fim para mostrar
O quão puro e sincero fui
Ver minha famã­lia a se orgulhar
Mas não há horizonte não há nenhuma chance
Apenas todas as coisas foras de alcance
Esperança perdida
Não posso me lamentar
Seja bem vinda a minha maldita vida
São tão difíceis certas coisas encarar quando o sol te cega as vistas
E não há para onde se voltar
Razão
Vida
Causa
Família
Esperança
Sonho
Confiança
Sentimento
Verdade
Desejo
Prazer
Vontade
Amor
Temor
Morte
Mamãe
Menino
De sorte
Preciso de um tempo
Mais para mim
Tente se imaginar
Se ponha em meu lugar
Observe o cara que sou
Somos do mesmo time não há o que tirar
Eu não estou mentindo
Não quero te enganar sucesso, dinheiro
Essa porra a minha alma
Não vai nada levar
Mamãe te amo
Mas não gostei daqui
Esse é o meu final aceite
Meu coração partido
Tentei ser um bom filho
Não há para onde se voltar
Volto para o meu lugar
Para dentro de mim mesmo
De onde talvez eu não possa
Voltar
Estou perdido em mim mesmo
Já não é mais cedo e aonde quer que eu vá
Mate-me ou ensine-me a amar
Eu só queria apagar essa dor dê um pouco de amor
Leve-me com você aonde quer que eu vá
Estou perdido em mim mesmo
Já não é mais cedo e aonde quer que eu vá
Mate-me ou ensine-me a amar
Eu só queria apagar essa dor
dê um pouco de amor
Leve-me com você aonde quer que eu vá...
Marcos Menezes de Almeida
Enviado por Marcos Menezes de Almeida em 03/09/2007
Código do texto: T637279
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcos Menezes de Almeida
Aracaju - Sergipe - Brasil, 32 anos
361 textos (17624 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 19:55)
Marcos Menezes de Almeida