Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

The Freak & The Murderer [O Louco e O Assassino]

está em inglês, mas tem a tradução em seguida.

THE FREAK AND THE MURDERER


All that he's got is Delight
Since born, always dreaming.
With his royal ethereal
that would never die alone.

That noise was healthy to him
He forever lived with screamings
Gorgeous Echoes in His Soul
Painful cries in his Lifetime

Waking up on a street bench
"I don't remember a thing"
And he'd walk home
If he knew where it would be

He's singing through the night
Seeking cold sighs
Just 'round the corner.
Finally found! And they're out.

He's runing 'cross the noon
Looking down his bloody fingers
Trying to remember his lost dream
Trying to forgive his last sin

"If i'm chasing someone?"
He just said "sure!"
And nothing else was heard
But his echoing steps on the silence

"Have you ever woke up?"
He asked himself
It's another empty day
And he still doesn't know what's on.

The night comes fast in pain
He'd not go any further
He'd stay in bed
He'd stay in blood

This morning he's happy
There's no bitter taste
Darknes neither 'rounding him
He couldn't be taken to an outer-space

But when the night comes earlier
His mind became gory!
His hands began a choke
Against any nearby neck

At morning his head was in lack.
Those dead flowers outdoor
Began to bleed 'cause
The evil french rose

His blood bleeds a blur blood
Against the thorns of the rose
its petals and its leaves
are the poison to his evil

Perhaps he could live
as the Murderer& the Freak
But those flowers shining white
Make this life to hurt

The gorgeous red view within
Beat with his steps
Now he's runing sadly
away of the sleeping Freak

With an obnoxious deep pain
he couldn't fly any higher
But the freak otherwise
Has dreamt some further

Unfortunately both died
Falling from the sky
'Cause the Murderer couldn't fly anymore
And the Freak woke up.
-Once again.

-leffertian

*****TRADUÇÃO*****

O LOUCO E O ASSASSINO


Tudo que ele tinha era prazer.
Desde que nasceu, sempre sonhava
Com seu etéreo real
Que nunca morreria sem ele.

Aquele ruído fazia bem para ele
Ele sempre viveu com gritos
Maravilhosos ecos em sua alma
Choros doloridos em sua vida.

Acordando num banco da rua
"Não me lembro de coisa alguma"
E ele até iria para casa
Se soubesse onde fosse

Ele está cantando pela noite
Buscando suspiros frios
Logo ao virar a esquina
Finalmente achou! E estes se foram.

Ele está correndo e é meio-dia
Olhando para seus dedos ensangüentados
Tentando lembrar de seu sonho perdido
Tentando perdoar seu ultimo pecado

"Se estou perseguindo alguém?"
Ele simplesmente disse "claro!"
E nada mais foi ouvido
A não ser seus passos ecoando no silêncio

"Alguma vez você já acordou?"
Ele perguntou a si mesmo
É mais um dia vazio
E ainda não sabe o que está acontecendo

A noite chega rápido com dor
Ele não iria mais longe
Ele ficaria na cama
Ele ficaria no sangue

Nesta manhã ele está feliz
Não há gosto amargo
Nem escuridão rodeando-o
Ele não poderia ser levado para o espaço

Mas quando a noite chega mais cedo
Sua mente se torna sanguinária
Suas mão começam a sufocar
Qualquer pescoço que está perto

Pela manha sua cabeça estava em falta
Aquelas flores mortas lá fora
Começaram a sangrar graças
À rosa francesa do mal

Seu sangue sangrava um sangue tolo
Contra os espinhos da rosa.
Suas pétalas e suas folhas
Eram o veneno pra maldade dele

Talves ele pudesse viver
como o Assassino e o Louco
Mas aquelas flores brilhando brancas
Fizeram essa vida doer

A maravilhosa visão vermelha de dentro
Batia com seus passos.
Agora ele corre tristemente
para longe do Louco, que dorme

Com uma profunda e detestável dor
Ele não podia voar mais alto
Mas o Louco, entretanto,
Tinha sonhando um pouco mais além.

Infelizmente os dois morreram
Caindo do céu.
Pois o Assassino não conseguiu voar mais
E o Louco acordou
-De novo.

-leffertian
Leff
Enviado por Leff em 26/10/2005
Código do texto: T63890

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Leff
Vila Velha - Espírito Santo - Brasil, 26 anos
28 textos (1650 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 16:31)
Leff