Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SUICÍDIO NA RUA DAS FLORES

              NÃO HÁ MENSAGENS PARA LER,
          OU CARTAS A RECEBER NESTE VERÃO
                 TUDO O QUE FIZ FOI EM VÃO
                    EU PRECISO ESQUECER,
                TUDO O QUE FICOU DE VOCÊ.


         O CORTE PROFUNDO NO PULSSO ESQUERDO.
           A LINDA TAÇA ONDE BRINDASTE VENENOS.
            LUGARES ONDE APURASTE TEU SOFRER
     A SOLIDÃO QUE ESTEVE COLHENDO AO ANOITECER


              PESAR E DESCULPAS AOS MEUS PAIS.
                 NÃO MAIS LIGO PARA PERTURBAR.
                 CALANDO A VOZ QUE DIZ JÁ VOU,
                ORTOGRAR UM NOTURNO DESISTIR
                   EM  IMAGENS DO QUE PASSOU.


           A TERNURA CATIVANTE DESTE CADAVER
             QUE FITAME CEGO INDUZINDO A VER
                      O CORTEJO QUE PARTIU
                 LEVANDO O QUE FIZ POR VOÇÊ.


                 DISSE QUEM AMAS NÃO MATA.
                    CONHECES. PERGUNTOU.
                O QUE FARIA SE FOSSE HOJE.
           OLHEI EM TEUS OLHOS COMO AGORA.
                A COROA AMARELA SERIA TUA,
                         AMARGA SENHORA.
DIEGO HUXLEY
Enviado por DIEGO HUXLEY em 06/09/2007
Código do texto: T641302

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
DIEGO HUXLEY
Sobradinho - Distrito Federal - Brasil, 30 anos
221 textos (11155 leituras)
1 áudios (42 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 11:17)
DIEGO HUXLEY