Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Fantasmas

Só quero me calar, respeitem o meu silêncio.
Vou falar, quando eu querer falar.
Deixem-me no meu mundo, que eu criei pra mim.
Prefiro o isolamento, ao murmurinho,
De uma cidade em violência.
Já me violaram sem revelarem a verdade,
Do que é ser vivente, num mundo infame;
De falsidade e hipocrisia!
Não vou falar, quero simplesmente calar.
Por que o mundo me dá enjôo, e
Se eu vomitar, vou te ferir mais que a mim mesma.
Deixem-me aqui, no meu mundo particular e restrito.
Não tentem me desvendar, pois sou o enigma de mim  mesma!
Não quero tua piedade, muito menos tua bondade.
Quero a ilusão de uma vida contida no meu ser.
Ser que vive apenas por viver,
Espectadora do mundo em conspiração.
Minha forma de proteger-me de tuas investidas,
Interesseiras, do teu egoísmo centrado em ti mesmo.
Não me ame, mas também não me odeie.
Sou apenas uma menina travessa que não pode correr;
Pois teu abraço seria pra mim a morte,
E eu não quero morrer, apenas quero fugir!
Fica quieto no teu canto, que eu quero é ficar sozinha!
Eu só quero Paz!

SilScher
Enviado por SilScher em 06/09/2007
Código do texto: T641323
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
SilScher
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil
150 textos (9939 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 00:24)
SilScher