Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ANIMAIS, VENHAM À CEIA!

A ciência humana diz que o gênero humano descende de animais. Há uma linha de pensamento que afirma que o gênero humano descende de macacos, quiçá devido à semelhança do esqueleto ósseo dele, aliado a habilidade que manifesta aqueles primatas.

Apesar da teoria, e o argumento de que a mutação se deu à milhões de anos, ainda hoje os macacos continuam fazendo macaquice, e o homem a querer imitá-lo. Desde que os macacos tornaram-se humanos, não se sabe como, pois uma mutação genética não é fato simples como pretendem alguns que isso afirmam, eles pararam e não mais evoluíram, ou não mais foram capazes de mutar geneticamente a ponto de deixarem as florestas, construírem habitações, e estabelecerem inter-relações altruístas como seus pretensos descendentes humanos o fazem. Ou seja, os macacos continuam macacos e os humanos continuam humanos. Os homens continuam querendo explicar as suas origens e se embrutecendo quando se assemelham aos brutos ou animais, e os macacos não querendo nada, nem construir e nem plantar, só desfrutar, e vivendo a sua curta existência de maneira primitiva.

Assim, os humanos se assemelham à animais, e o são, pois diz Deus pelo profeta Jeremias:

"Ouvi a palavra que o Senhor vos fala a vós, ó casa de Israel. Assim diz o Senhor: Não aprendais o caminho dos gentios, nem vos espanteis dos sinais dos céus; porque com eles se atemorizam as nações. Porque os costumes dos povos são vaidade; pois corta-se do bosque um madeiro, obra das mãos do artífice, feita com machado; com prata e com ouro o enfeitam, com pregos e com martelos o firmam, para que não se mova. São como a palmeira, obra torneada, porém não podem falar; certamente são levados, porquanto não podem andar. Não tenhais receio deles, pois não podem fazer mal, nem tampouco têm poder de fazer bem. Ninguém há semelhante a ti, ó Senhor; tu és grande, e grande o teu nome em poder. Quem não te temeria a ti, ó Rei das nações? Pois isto só a ti pertence; porquanto entre todos os sábios das nações, e em todo o seu reino, ninguém há semelhante a ti. Mas eles todos se embruteceram e tornaram-se loucos; ensino de vaidade é o madeiro. Trazem prata batida de Társis e ouro de Ufaz, trabalho do artífice, e das mãos do fundidor; fazem suas roupas de azul e púrpura; obra de peritos são todos eles. Mas o Senhor Deus é a verdade; ele mesmo é o Deus vivo e o Rei eterno; ao seu furor treme a terra, e as nações não podem suportar a sua indignação. Assim lhes direis: Os deuses que não fizeram os céus e a terra desaparecerão da terra e de debaixo deste céu. Ele fez a terra com o seu poder; ele estabeleceu o mundo com a sua sabedoria, e com a sua inteligência estendeu os céus. Fazendo ele soar a sua voz, logo há rumor de águas no céu, e faz subir os vapores da extremidade da terra; faz os relâmpagos para a chuva, e dos seus tesouros faz sair o vento. Todo o homem é embrutecido no seu conhecimento; envergonha-se todo o fundidor da sua imagem de escultura; porque sua imagem fundida é mentira, e nelas não há espírito. Vaidade são, obra de enganos: no tempo da sua visitação virão a perecer. Não é semelhante a estes aquele que é a porção de Jacó; porque ele é o que formou tudo, e Israel é a vara da sua herança: Senhor dos Exércitos é o seu nome." Jr. 10:1-16.

Observe a afirmação do profeta: “Ele é o que formou tudo!”

Também isso disse o salmista, inspiradamente, veja:

"Ó Senhor, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas. Assim é este mar grande e muito espaçoso, onde há seres sem número, animais pequenos e grandes. Ali andam os navios; e o leviatã que formaste para nele folgar. Todos esperam de ti, que lhes dês o seu sustento em tempo oportuno. Dando-lho tu, eles o recolhem; abres a tua mão, e se enchem de bens. Escondes o teu rosto, e ficam perturbados; se lhes tiras o fôlego, morrem, e voltam para o seu pó. Envias o teu Espírito, e são criados, e assim renovas a face da terra." Sl. 104:24-30.

O salmista também diz que feras da terra devastam a vinha do Senhor, veja:

"Trouxeste uma vinha do Egito; lançaste fora os gentios, e a plantaste. Preparaste-lhe lugar, e fizeste com que ela deitasse raízes, e encheu a terra. Os montes foram cobertos da sua sombra, e os seus ramos se fizeram como os formosos cedros. Ela estendeu a sua ramagem até ao mar, e os seus ramos até ao rio. Por que quebraste então os seus valados, de modo que todos os que passam por ela a vindimam? O javali da selva a devasta, e as feras do campo a devoram." Sl. 80:8-13.

"Faze aos seus nobres como a Orebe, e como a Zeebe; e a todos os seus príncipes, como a Zebá e como a Zalmuna, que disseram: Tomemos para nós as casas de Deus em possessão." Sl. 80:11 e 12.

Assim, o povo de Israel é a videira plantada pelo senhor, e que corresponde as pastagens de Deus. Enquanto que as demais nações, inclusive os israelitas nominais, os da palestina, os judeus, são animais do campo.

Observemos que o Senhor diz pelo profeta Jeremias, que todo homem se embruteceu devido fazerem deuses fabricados por mãos humanas, imagens esculpidas. Jr. 10:14. E nessa condição encontram-se muitos dos evangélicos, os quais afirmam serem filhos e povo de Deus. Mas as suas práticas assemelham-se às nações que não conhecem a Deus, pois fazem seus deuses de ouro e prata, imagem de homens.

Paulo, o apóstolo dos gentios, diz, inspiradamente, que esse povo que teve conhecimento de Deus, não o glorifica como Deus, nem lhe dá graças. E que seu raciocínio se tornou vazio, e seus corações insensatos se obscureceram. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos, e trocaram a glória de Deus incorruptível por imagem de homem corruptível, bem como de pássaros, quadrúpedes e répteis. Rm. 1:21-23.

E a prova de que refere-se aos evangélicos, está na passagem que segue, veja:

"Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém. E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm." Rm. 1:25 e 28.

Como sabemos, a verdade de Deus são os seus mandamentos, veja:

"A tua justiça é uma justiça eterna, e a tua lei é a verdade." Sl. 119:142.

E o conhecimento de Deus, a guarda desses mandamentos, veja:

"E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade." I Jo. 2:3 e 4.

Mas ainda agora diz Deus:

"Vós, todos os animais do campo, todos os animais dos bosques, vinde comer. Is. 56:9. Ó Vós, todos os que tendes sede, vinde às águas, e os que não tendes dinheiro, vinde, comprai, e comei; sim, vinde, comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite. Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente, e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura. Inclinai os vossos ouvidos, e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá; porque convosco farei uma aliança perpétua, dando-vos as firmes beneficências de Davi. Eis que eu o dei por testemunha aos povos, como líder e governador dos povos." Is. 55:1-4.

E adiante diz que os nossos pensamentos não são os pensamentos de Deus, nem os nossos caminhos os caminhos Dele.

E o caminho de Deus é a sua lei, veja:

"Mas vós vos desviastes do caminho; a muitos fizestes tropeçar na lei; corrompestes a aliança de Levi, diz o Senhor dos Exércitos." Ml. 2:8.

Outrossim, as águas são a sua palavra, veja:

"Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra." Ef. 5:26.
 
Por conseguinte, o vinho é o seu espírito, e o leite os seus ensinos, que é a verdade, e que corresponde a sua palavra, veja:

"Este é aquele que veio por água e sangue, isto é, Jesus Cristo; não só por água, mas por água e por sangue. E o Espírito é o que testifica, porque o Espírito é a verdade." I Jo. 5:6. "As palavras que eu vos falo são espírito e vida." Jo. 6:63. "Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo." I Pe. 2:2.

A visão dada a Pedro, juntamente com o ocorrido na casa de Cornélio, ratifica que os gentios são as feras do campo, veja:

"E no dia seguinte, indo eles seu caminho, e estando já perto da cidade, subiu Pedro ao terraço para orar, quase à hora sexta. E tendo fome, quis comer; e, enquanto lho preparavam, sobreveio-lhe um arrebatamento de sentidos, e viu o céu aberto, e que descia um vaso, como se fosse um grande lençol atado pelas quatro pontas, e vindo para a terra. No qual havia de todos os animais quadrúpedes e répteis da terra, e aves do céu. E foi-lhe dirigida uma voz: Levanta-te, Pedro, mata e come. Mas Pedro disse: De modo nenhum, Senhor, porque nunca comi coisa alguma comum e imunda. E segunda vez lhe disse a voz: Não faças tu comum ao que Deus purificou. E aconteceu isto por três vezes; e o vaso tornou a recolher-se ao céu. E estando Pedro duvidando entre si acerca do que seria aquela visão que tinha visto, eis que os homens que foram enviados por Cornélio pararam à porta, perguntando pela casa de Simão. E, chamando, perguntaram se Simão, que tinha por sobrenome Pedro, morava ali. E, pensando Pedro naquela visão, disse-lhe o Espírito: Eis que três homens te buscam. Levanta-te pois, desce, e vai com eles, não duvidando; porque eu os enviei. E, descendo Pedro para junto dos homens que lhe foram enviados por Cornélio, disse: Sou eu a quem procurais; qual é a causa por que estais aqui? E eles disseram: Cornélio, o centurião, homem justo e temente a Deus, e que tem bom testemunho de toda a nação dos judeus, foi avisado por um santo anjo para que te chamasse a sua casa, e ouvisse as tuas palavras. Então, chamando-os para dentro, os recebeu em casa. E no dia seguinte foi Pedro com eles, e foram com ele alguns irmãos de Jope. E no dia imediato chegaram a Cesaréia. E Cornélio os estava esperando, tendo já convidado os seus parentes e amigos mais íntimos. E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés o adorou. Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem. E, falando com ele, entrou, e achou muitos que ali se haviam ajuntado. E disse-lhes: Vós bem sabeis que não é lícito a um homem judeu ajuntar-se ou chegar-se a estrangeiros; mas Deus mostrou-me que a nenhum homem chame comum ou imundo. Por isso, sendo chamado, vim sem contradizer. Pergunto, pois, por que razão mandaste chamar-me? E disse Cornélio: Há quatro dias estava eu em jejum até esta hora, orando em minha casa à hora nona. E eis que diante de mim se apresentou um homem com vestes resplandecentes, e disse: Cornélio, a tua oração foi ouvida, e as tuas esmolas estão em memória diante de Deus. Envia, pois, a Jope, e manda chamar Simão, o que tem por sobrenome Pedro; este está em casa de Simão o curtidor, junto do mar, e ele, vindo, te falará. E logo mandei chamar-te, e bem fizeste em vir. Agora, pois, estamos todos presentes diante de Deus, para ouvir tudo quanto por Deus te é mandado. E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas; mas que lhe é agradável aquele que, em qualquer nação, o teme e faz o que é justo." At. 10:9-35.

Leiamos agora a seguinte passagem bíblica para reforçar a idéia proposta.

"Filho do homem, profetiza contra os pastores de Israel; profetiza, e dize aos pastores: Assim diz o Senhor Deus: Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! Não devem os pastores apascentar as ovelhas? Comeis a gordura, e vos vestis da lã; matais o cevado; mas não apascentais as ovelhas. As fracas não fortalecestes, e a doente não curastes, e a quebrada não ligastes, e a desgarrada não tornastes a trazer, e a perdida não buscastes; mas dominais sobre elas com rigor e dureza. Assim se espalharam, por não haver pastor, e tornaram-se pasto para todas as feras do campo, porquanto se espalharam. As minhas ovelhas andaram desgarradas por todos os montes, e por todo o alto outeiro; sim, as minhas ovelhas andaram espalhadas por toda a face da terra, sem haver quem perguntasse por elas, nem quem as buscasse. Portanto, ó pastores, ouvi a palavra do Senhor: Vivo eu, diz o Senhor Deus, que, porquanto as minhas ovelhas foram entregues à rapina, e as minhas ovelhas vieram a servir de pasto a todas as feras do campo, por falta de pastor, e os meus pastores não procuraram as minhas ovelhas; e os pastores apascentaram a si mesmos, e não apascentaram as minhas ovelhas. E não servirão mais de rapina aos gentios, as feras da terra nunca mais as devorarão; e habitarão seguramente, e ninguém haverá que as espante." Ez. 34:1-8 e 28.

(093)99190-6406
(093)99195-6406
oliprest
Enviado por oliprest em 07/09/2007
Reeditado em 26/09/2016
Código do texto: T642388
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Áudio
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
oliprest
Manaus - Amazonas - Brasil, 67 anos
2149 textos (181669 leituras)
245 áudios (2546 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 05:54)
oliprest

Site do Escritor