Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Este é Amigo verdadeiro




Era uma madrugada fria do mês de junho eu ouvi um ruído estranho, eu sai para ver o que era, tinha um rapaz sentado de cabeça baixa, eu me aproximei dele, e perguntei o que faz aí neste frio rapaz? O rapaz me perguntou: - o senhor não tem medo de sair assim a esta hora sem saber quem vai encontrar? Eu respondi: - Não meu jovem! Quem não deve não precisa temer; Eu não tenho inimigo, não tenho que ficar fechado em casa, enquanto alguém treme de frio aqui fora! Vamos entre e se agasalhe, vou fazer um café para agente tomar e esquentar o peito.

O rapaz me perguntou: - Então o senhor acredita que não tem inimigo? Eu se fosse o senhor, não teria tanta certeza! - Porque me diz isto eu perguntei .
O jovem falou com a frieza de um assassino: - me mandaram aqui para lhe matar, será Alguém que o senhor tem como amigo? Eu como não podia pensar se quer nessa possibilidade, Respondi: deve ser um engano, vamos entrar e amanhã você volta a esta pessoa e confirma para não pegar a pessoa errada.

Frio e com palavras firmes me disse não, não á engano; O homem que me mandou aqui, só se enganou em uma coisa, eu ganho a vida matando pessoas, mas não admito  covardia.
Eu não vou entrar em sua casa, vou voltar e matar aquele sujeito que me mandou aqui. Antes que o dia fique claro, e ele descubra que eu não cometi este absurdo.
Eu pedi ao jovem, não faça isto vai prejudicar sua vida! Ele respondeu: - vamos ficar prejudicados, se ele ficar vivo; vai mandar alguém atrás de mim e talvez o mesmo, já lhe deixe morto.

Lamentando a atitude daquele jovem, fui obrigado a concordar com ele porem em silencio.
O jovem me disse ele quer suas terras, e sabe que o senhor não as vende; a única maneira de tomar posse delas, seria mais fácil tomar da viúva. Só falei, por que ele não vai poder falar; O senhor precisa saber para não confiar muito nas pessoas. Adeus homem de fé.
Ele saiu, eu fiquei olhando, lá naquela curva ele saiu da estrada, e foi para o lado daquele pé de mangas, lá estava o seu cavalo amarrado ele montou, voltou para a estrada e galopou observei-o até sumir na escuridão. Ai eu voltei; minha mulher, me perguntou com quem você conversava baixinho a esta hora da noite?  a ela eu disse: - não se preocupe era um Anjo ou um louco; volte a dormir você está cansada, precisa descansar. Eu não dormi o resto da noite;

Eu perguntava-me será verdade, tudo que acabei de ouvir?
Será louco, aquele rapaz? Respondia eu a mim mesmo: - Não, ninguém pode ser tão louco assim.
Mas será que algum teria coragem de mandar me matar, só para ter o que é meu?
Eu acho fantasioso demais! Mas o que este rapaz ganharia com tais revelações? Mesmo um louco, não seria capaz de arquitetar uma história tão louca.
A partir deste pensamento, eu passei a analisar: - Já vimos caso parecido; lá em boa esperança,   um fazendeiro matou um chefe de família, para tomar seu Sitio, por causa de uma fonte de água; Não é o meu caso, não sei de ninguém que poderia querer minhas terras.

Normalmente isso acontece quando vizinho de divisa não tem consideração com o outro, esses se matam por qualquer motivo; eu não corro esse risco.
No dia seguinte, eu me levantei com o corpo cansado de rolar na cama, e a cabeça cheia de pensar; fui para o roçado, mas não cheguei a pegar no eito; ouvi alguém gritar pelo meu nome; eu me virei e perguntei: - quem é? Estou aqui no alto perto da mina! Aquele
Que me chamava disse desse e traz sua Enxada! Eu desci e era o filho de um visinho que me disse: mataram o seu compadre esta noite; Eu perguntei: - Mataram? Como mataram? Há a mulher dele disse que ouviu quando chamaram, e ele falou: - mulher não se levanta, eu sei quem está chamando; é um rapaz que fez um serviço pra mim, e veio receber, porque ele vai viajar.
A esposa disse que ficou na cama, e ouviu quando um homem falou: - Eu quero mais que esse pagamento que combinamos; E o senhor não vai me chamar mais para esse tipo de serviço.

E a dona disse que só ouviu quando o marido respondeu: - espera aqui que vou buscar o que você quer; Acho que o seu cobrador desconfiou que ele vinha dentro de casa pegar a arma e matá-lo ele atirou nele pelas costas.
Eu conclui: O rapaz tinha razão, não se pode confiar! Eu me lembrei de uma história que ouvi contar sobre um homem que pegou um menino abandonado para criar, e só por que estava lhe aconselhando: - não seja curioso, a curiosidade pode deixá-lo em situação dificil eu fui curioso queria saber o que estava fazendo barulho do lado de fora, sai sem saber que poderia morrer pela minha curiosidade. O   conselheiro foi morto pelo próprio, que ele protegeu quando estava abandonado sem ninguém por ele.
Muitas vezes uma pessoa por agir no impito  da raiva pode  fazer algo para se arrepender.pelo resto da vida. Este pelo contrario me ficou grato, e eu a ele. A final de contas fomos dois beneficiados.

E quanto a confiar, quem poderia imaginar que meu compadre, tramaria minha morte?
Tem pessoas que são falsas,  e essas são bajuladoras, elas agem com sutileza sem que agente perceba. Eu aprendi muito! Quando vejo alguém bajulador, eu digo para mim mesmo: - Este sujeito é perigoso; Ele na minha frente mostra os dentes, mas na minha ausência, pode estar preparando-os para me morder.

Foram Dez anos que se passaram;  eu já nem me lembrava mais! chegou em minha casa um casal, o homem tinha uma aparência serena, e a senhora que com ele estava, tinha um semblante feliz, ela era uma pessoa espontânea assim que cegaram, ela  disse: - meu marido me disse que vinha me apresentar ao seu único amigo, ao homem a quem ele deve tudo o que ele é hoje esse marido maravilhoso que eu tenho; mas parece que o senhor não o reconhece! Eu respondi: - Minha senhora, eu me sinto feliz de saber que sou considerado dessa forma, mas nós precisamos ser apresentados.

Eu não me lembrava da fisionomia; aquele  homem que se encontrava ali na minha frente dizendo ser meu amigo, eu não me lembro de tê-lo visto; fui franco com ele, e ele comigo dizendo: O senhor não se lembra da minha pessoa e com razão, e o senhor não tem motivo nenhum para me ter como amigo; muito menos de se lembrar de mim. no entanto eu tive todos os motivos para não me esquecer aquela noite em que lhe vi pela primeira vez;  por que nunca imaginei que no mundo houvesse pessoa como o senhor; eu fui feito para matar. Meu pai era um assassino, e morreu assassinado;  assim eu fui criado só me ensinarão como usar uma arma e como tirar vida.

O senhor foi a única pessoa capaz de me  ensinar  que tirar uma vida estaria me prejudicando, e é verdade eu não tive sossego até descobrir que tinha que mudar minha vida; todo dinheiro que ganhei, foi para viver fugindo. Eu não tinha consciência de que o ser humano não tinha o direito sobre a vida do outro;  Eu aprendi que um homem só vivia, enquanto alguém não achasse que ele estava atrapalhando os seus interesses.
Eu perguntei: - e agora o que você faz? Ele respondeu: - a primeira coisa que fiz, foi sair do meio em que vivia. eu me mudei para uma  Fazenda onde ninguém me conhecia, e lá pedi emprego de peão vaqueiro; o pai dessa mulher me aceitou sem procurar saber quem eu era; foi a segunda pessoa a me ajudar; me acolheu em sua casa como um trabalhador; e dali em diante, procurei ser como o senhor e aquele homem, encarei o trabalho, e fiz um grande sucesso como vaqueiro e amansador de burro bravo; aprendi a cuidar do gado com aftosa e outras mazelas.

O fazendeiro chegou a dizer: - rapaz você nasceu com o dom de cuidar de animais! Eu tenho  que admitir depois que veio trabalhar na minha fazenda, não perdi nem mais crias de minhas vacas como antes. E a filha do fazendeiro também acreditou em mim, acreditou tanto que
Chegamos a este ponto; Um casamento perfeito. Como presente de casamento, nós ganhamos do pai dela uma linda fazenda; jamais vou decepcionar esta família para provar que é assim que eu penso, a única arma que peguei desde a morte do
Seu amigo falso, é uma espingarda para caçar as onças que atacam o nosso rebanho.
Eu vim aqui para agradecer-lhe e convidar o senhor, e sua esposa, também seu filho para visitar nossa fazenda, e saber onde é para visitar-nos quando quiser.
Eu respondi: - meu filho não vai poder  ele também agora tem uma fazenda para cuidar,
Ele também casou-se com uma filha de um fazendeiro, e o sogro faleceu, pouco depois deles se casarem. a minha nora era órfã de mãe, como filha única, herdaram tudo que o pai dela possuía .

Então, posso buscar meus cavalos, para levá-los conosco? O senhor e sua esposa? Eu Disse: - pode! Sem jamais imaginar que os seus cavalos, estavam convertidos em uma linda pikup.   4X4 E agora depois desta experiência, eu acredito mais ainda no que sempre pensei: - O homem  é o que quer ser; e quando quer, não dispensa oportunidade que se lê apresenta; e posso dizer com toda convicção -  a verdade é que: - nasci de novo, e ainda ganhei um amigo verdadeiro.
sterquini
Enviado por sterquini em 08/09/2007
Código do texto: T643910

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
sterquini
São João de Meriti - Rio de Janeiro - Brasil, 73 anos
503 textos (28469 leituras)
20 áudios (2920 audições)
3 e-livros (10 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 15:22)
sterquini

Site do Escritor