Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"Gragoatá"

Com meus olhos ao longe a ti procurei
Sentado nesta rocha, que noite tão fria!
Mas por mais uma vez me decepcionei
Pois a brisa do mar, teu perfume não tinha

Eu olhei para o Cristo, não estavas por lá
Só haviam luzinhas brilhando no morro
Pedi pra que Ele a trouxesse pra cá
Mas não pude fazê-lo acudir meu socorro

Aquele Pão, nem parecia tão doce
Nem me animei de por lá te buscar
Se mais perto um pouquinho ele fosse
Talvez me atrevesse ao teu doce provar

Pela Ponte passando, carrinhos piscando
Nenhum deles te trouxe para me acalmar
Aos meus olhos eu não permiti o descanso
Mesmo sabendo jamais poder te encontrar

Aeroporto, a orla, era tudo tão lindo!
As estrelas, o céu,  e o cheiro do mar
Nestas pedras tão frias fiquei me iludindo
Que em algum dos barquinhos iria te avistar

Minha busca cessei, comecei o meu pranto
Sei que em teus lindos olhos não vou mais olhar
Toda esta natureza me disse quase em canto
Que jamais te encontrarei, no meu Gragoatá
Saulo David
Enviado por Saulo David em 08/09/2007
Reeditado em 21/12/2008
Código do texto: T644437
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Saulo David
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 38 anos
124 textos (8377 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 14:16)
Saulo David