Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Como ensinar poesia

                                                            Como ensinar poesia?


Como ensinar poesia, para alguém que tem fome e sede?
Fome não só de comida, mas fome de aprender, de viver e sede de emoção também. Alguém que não tem acalento, nem amor e que nem vive direito. Como despertar através da poesia essa emoção, esse prazer e esse saber viver? Que passos seguir?
Não é fácil. Também não é impossível. No livro “ O pequeno príncipe”, Exupéry diz que “ impossível é uma palavra que não existe”, talvez ao certo é fazer “deles” pequenos príncipes.
Como ensinar a magia da poesia? Do fazer poesia?
O poeta Neruda diz que “ Escrever é fácil. Você começa com uma maiúscula  e termina com um ponto final. No meio, coloca idéias”. Eis aí, talvez o primeiro passo.
E o que é bom na poesia?
“ O bom na poesia é o poetar. Liberdade de brincar com a música das palavras. Sentir seu significado, do cultivar e expressar as flores da alma”. Eis aí, talvez o segundo passo.
E depois?
Depois como disse nosso inesquecível Drummond, “ Chega mais perto e contemple as palavras. Cada uma tem mil faces secretas sob a face neutra e te pergunta, sem interesse para a resposta, pobre ou terrível, que lhes deres:
Trouxeste a chave?”
Eis aí, talvez mais um passo.
Um poeta nosso barreirense, nos diz que “ Não quero fazer da poesia um exercício de nuvens O ato de escrever não pode ser um êxodo, um engodo, um engano. Ah! Meu país que eu amo tanto, apesar da mancha de corrupção. A poesia é bela, mas abala feito a bala na favela”.
Eis aí, uma reflexão.
Mas como fazer realmente poesia?
Cecília Meireles nos diz que para fazer um poema, “  basta prender na página um pássaro invisível e nas palavras soltar seu vôo”.
Eis aí, de fato um poema.
Talvez dissesse também, que para fazer poesia precisamos de pessoas que tenham os pés na terra e a cabeça nas  estrelas...Quem disse este poema ? Não importa, precisamos  ser capazes de sonhar sem medo de nossos sonhos, mas tão idealistas que transformemos nossos  sonhos em metas
Eis aí um objetivo.
E se por ventura não conseguir?
Tente.
Faça uma poesia.




Autora: Márcia Rasia

1º arteducação 2003.


                                           
Márcia Rasia
Enviado por Márcia Rasia em 18/09/2007
Código do texto: T657101

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Márcia Rasia
Barreiras - Bahia - Brasil, 50 anos
55 textos (16548 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 19:48)
Márcia Rasia