Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Solidão

Solidão

Se bates em meu rosto
Agradeço a ti, pois fizestes
me acordar para o mundo ardil
que vive em meu ser
Faça-me conter a ansiedade
Contemplada do escalibur
dourado que sobrevoa minha
Alma escura
Afasta-me do brilho
Falso que espelha meu
Espírito ingênuo
Retire-me deste
Submundo obscuro
O qual meu eu, cisma em contemplar
Bate novamente mais
Forte pois a profundeza
Da minha ignorância
Ainda oscila em sentir
Dor não retire a corda
Fina que escorrega de
Minhas mãos trêmulas e
fracas , pois assim matarei meu minuto
Contemplador deixe-me aqui
No delírio constante desta vida
Hesitante o qual encontra meu ser
Talvez eu saia daqui e irei pra bem distante em busca de você...
(Carlos Antonio)
Carlos Antonio
Enviado por Carlos Antonio em 20/09/2007
Código do texto: T660463

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Antonio
Brasília - Distrito Federal - Brasil
67 textos (1955 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 08:48)
Carlos Antonio