Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MOVIMENTO

Não sei pra onde vou,
E muito menos o por que.
Tenho medo,
Mas medo de que?

Tenho talvez o medo do desconhecido
Aquele receio ante ao abismo do amanhã
Tenho a sensação tal, que sinto o impulso do caminhar,
Mas tenho medo de arriscar

Mas hei de arriscar,
Já não me cabe parar,
Tenho que caminhar.

A questão é: Jamais desesperar
Desesperar pra que?
O amanhã é sempre o amanhã
O amanhã tem gosto de desconhecido,
De desbravado, tal como garimpo a ser garimpado.

O pior que pode acontecer,
É não acontecer,
Mas sem tentar,
De qualquer modo não terá acontecido.

Chega!
Declaro que doravante em diante seja proibida a inércia
Que a regra seja a mobilidade,
O movimento.

E na regra do movimento,
O que menos vale é pra onde se movimenta,
Isso não importa.
O que vale na regra é contrapor a imobilidade

Assim sendo,
Que sejam abolidas de todos os dicionários,
E também de todas as mentes,
Palavras tais como: não consigo, não vai dar certo,
Não posso, alem de outras que indiquem o mesmo sentido.

Em seu lugar sejam vociferadas na mais alta voz:
Consigo, posso, vou, etc.

E se por algum acaso, destes que a vida apronta,
Em algum momento,
Qualquer que seja,
Esta regra seja ameaçada,
Por alguma descrença, obstáculo ou ameaça,
Que todos se insurjam,
E a façam valer.

Marlon Oliveira

Marlon Oliveira
Enviado por Marlon Oliveira em 02/10/2007
Código do texto: T677724

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marlon Oliveira
Imperatriz - Maranhão - Brasil, 44 anos
23 textos (1255 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 20:50)
Marlon Oliveira