Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
QUANDO O AMOR REINAR

Apesar...
Do início de outubro seco,
Do beco com saída,
Para a vida sofrida,
Desprovida de vida.

Apesar...
Das lacunas,
Dos vãos nas colunas,
Da base humana,
Desumanamente insana.

Apesar...
Das asas caídas,
Das mãos encolhidas,
Para as mãos estendidas,
À espera de um gesto – indigesto,
De misericórdia.

Apesar...
Do peso da bagagem,
Da longa viagem...
Nesse rio sem margem,
Que vai dar não sei aonde,
Talvez onde a paz se esconde.

Apesar...
Da luta – da fome absoluta,
Que invade as entranhas,
Uma “força estranha” – que não se acanha,
(Contra todos os senões),
Insiste em fazer morada,
Nos desabrigos dos corações.

Apesar de tudo...
O amor não está mudo,
Basta está atento,
Ao seu acalento,
basta acreditar;
E deixá-lo entrar.



DELEY
Enviado por DELEY em 02/10/2007
Código do texto: T678101

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
DELEY
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
4935 textos (186872 leituras)
4 e-livros (1657 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 08:33)
DELEY