Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NÂO TENHAS MEDO DA SOLIDÃO

Não se desespere, se o amor não vem
Nem sempre ele vem
Não desanimes se a solidão chegar
Ela sempre chega
Não te desanimes
Nada poderá te dominar!
As coisas são naturais
Como o respirar das árvores e o andar do vento rasteiro
O amor é sempre um balão girando no ar
No céu do inesperado
Ele está nos arredores das tristezas
Mas também pode estar na fila do cinema
Ele está nos sonhos de quem suspira
(Sempre haverá alguém suspirando por um amor )
Sonhando encontrar pessoas como você
E às vezes o amor envereda-se pelos versos e pelos bares
Nas estradas da noite ,nos olhares, nas gentilezas,
Ele poderá estar onde você poderá estar caminhando
Não mais que de repente, o amor tromba com você
No corpo daquela pessoa que nem te notou
Num primeiro momento
Repare, ele poderá seu bem, seu ser amado
Se ele ainda vive fora do seu mundo
Se estiver fora dos seus lugares,
Se estiver na escuridão,
Não desista e procure,
O amor poderá estar escondido bem dentro
Dos seus olhos fechados
 

Celio Govedice
Enviado por Celio Govedice em 05/10/2007
Reeditado em 06/10/2007
Código do texto: T682387

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Celio Govedice
Santana de Parnaíba - São Paulo - Brasil
1274 textos (69595 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 22:40)
Celio Govedice