Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Navio Vazio. (Na mente)

Não sei o que procuro,
mas,
definitivamente sei,
está longe de ser um porto-seguro.
Quero o que revolve,
intensifica,
absorve,
quero o que me fragmenta,
reparte-me para que infinitas áreas sejam expostas.
Não posso viver,
dando à loucura inerente do meu ser,
minhas costas.
Vou até o fim do mundo para experenciar,
saber-me polida,
não me faz recuar.
Tantos rostos escuros,
tanta dor em olhos azuis.
Não há clareza.
Falta de certeza.
Muito tempo,
pouco compromisso,
maior pacto de risco.
Mesmo calmo o aconchego foi violentado.
Tantos tiveram tudo em todo.
Mas perderam a direção,
porque o navio partiu.
Vazio.
Ana Claudia Laforga
Enviado por Ana Claudia Laforga em 06/10/2007
Código do texto: T682981
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ana Claudia Laforga
São Paulo - São Paulo - Brasil
28 textos (1493 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 16:19)
Ana Claudia Laforga