Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ULTIMA LINHA...

O SILENSIO QUE OUVIA
VINHA DA MADRUGADA PÁLIDA
OS GRITOS DE DOR ACORDAVAM
SENTIMENTOS ATÉ ENTAO ADORMECIDOS
UISQUE E CIGARROS NA MESA
IDEOLOGIA SEM PRÁTICA
ROMPE O SILÊNCIO DA HIPOCRESIA

A DONZELA ADORMECIDA
SONHAVA COM SUA MORTE
O SOLDADO QUE NEGA A FARDA
PENA ESSA VIDA AMARGA
SORTE DAQUELE QUE DEU
O SEU ÚLTIMO BEIJO
POIS A ULTIMA LINHA NAO EXISTE...
POETA MALDITO
Enviado por POETA MALDITO em 07/11/2005
Código do texto: T68341
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
POETA MALDITO
São Paulo - São Paulo - Brasil, 32 anos
23 textos (1491 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 08:52)