Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PAU DÁGUA

Quando fui chegando no meu terreiro
ja tava vendo, mamão em limoeiro,
rosa tava virando maracujá...
Com a cara estocada de conhaque
estava mais muito pra lá do Iraque
quando ví, estava dentro de um jacá...

Mais então o vizinho me socorreu
coitado, quando meu corpo ergueu,
fui saindo direto de cata cavaco...
Arerrebentei a tramela e o portão,
caí sentado em cima de um leitão,
tava chamando porco de macaco....

Aconteceu uma coisa muito grave
não encontrei nenhuma chave,
achei que estava perdida no chiqueiro.
Também se tivesse, de nada adiantava,
se eu mais nada na frente enxergava,
nem que encontrasse o meu isqueiro...

Muito mais sujo que um lamaçal
acordei lá no meio do milharal,
com o meu lombo todo ardendo...
Então fui caindo e levantando,
de quatro, em casa fui chegando
dizendo que pro Corinthians estava torcendo...
GIL DE OLIVE
Enviado por GIL DE OLIVE em 08/10/2007
Reeditado em 08/02/2009
Código do texto: T686085
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
GIL DE OLIVE
Campos do Jordão - São Paulo - Brasil
2597 textos (229940 leituras)
31 e-livros (2314 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 23:56)
GIL DE OLIVE