Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PRIMAVERA DE PAPEL CREPON

       Eu detesto tuas palavras tão corretas,
       tua filosofia que se perde no vazio
       de um punhado de palavras bem arranjadas,
       eu odeio tuas sábias e medidas palavras
       que me pregam na parede, me esfolam a carne
       e esvaziam ainda mais a minha alma...
       O pássaro negro, black bird, l'oiseuax noir,
       portador de maus presságios está pousado
       ali naquele ramo de árvore do meu jardim
       e me olha dizendo que eu não espere mais nada
       que eu corte e recorte tudo que senti e sonhei!
       Ó pássaro negro da minha vida,
       você está aqui pra minha morte;
       você exige o meu infortúnio
       e num certo jardim onde cresci,
       numa primavera de papel crepon,
       num canteiro de flores artificiais,
       lá não havia verdadeira vida,
       havia somente morte travestida
       de esperança e amor,
       havia somente mau agouro e dor
       vampirizando minha inocência...
       Ó infame besta que me deu seu dorso
       para montar e sair em vôos doidos,
       ó meretriz das velhas e torpes falácias
       você me sorriu e disse que este
       rio me levaria àquele mar!?!
       Adoçou meus lábios com o mais doce mel
       e me embalou em seus braços de falsa mãe
       nestas tardes de céus deslumbrantes
       de ipês em floradas extasiantes.
       Oh mãe madrasta que me embalou
       com braços enganadores
       que fizeste com minhas brancas asas
       enquanto eu dormia pensando sonhar?
       
       
       
         
tania orsi vargas
Enviado por tania orsi vargas em 10/10/2007
Reeditado em 23/05/2011
Código do texto: T687975
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
tania orsi vargas
Taquara - Rio Grande do Sul - Brasil
758 textos (51017 leituras)
4 áudios (519 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 01:51)
tania orsi vargas