Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Igino

Igino era sujeito bem apanhado, moço da cidade grande.Muito do serelepe, veio trazido pela tempestade.Pediu pouso na fazenda dos Pedroso e ficô a serviço. Tinha não sei quê que dexava as moça apaixonada, parecia coisa do Tinhoso.As lìngua-de-trapo dizia que era o próprio Mefistófelis.Sei não, pra mim parecia bom moço.Era querido dos menino, brincava como se fosse um deles.Inté as beata da vila se enchia de dengo prá falá dele.Pudera, ele carregava as compra delas, era cheio das gentileza, recebia inté convite pra cafezinho.Na lida era dos melhor, tangia o gado como se tivesse feito isso a vida intera;era bom de laço e jogava bola como ninguém. Cumpadre Libório ficô intrigado por dimais e tratô de achá uns defeito no rapaiz.Num deu certo , acabô amigo dele.
Argumas semana depois vei o boato do lobisome.Ninguém botava a cara pra fora em noite de lua cheia.Igino assuntava tudo e num dizia palavra.Tinha medo de nada não, só de tempestade.Ficô cismado quando os Pedroso incasquetô de buscá padre Bento Maria lá na vila que era prá benzê a fazenda.O danado votô contra; dizia que era tolice, crendice e aqueles palavreado difícil  que ele falava.Mais inté as mocinha e as beata ficô do lado dos Pedroso e o padre foi chamado.
Depois desse feito ele num botô mais os pé dentro da casa.Deve de tê ficado magoado, causa que ninguém lhe prestô ovido.Vivia acabrunhado pelos aprisco, falano sozinho. As má língua num deu discanso; uns dizia que era a besta do fim dos tempo, otros dizia que era o lobisome.Igino se aquietava.
Nos fim de semana botava uns cobre no gibão e ia pra vila.Num perdia um baile.As criança continuava brincando com ele, as beata ovindo os galanteio, as moça apaixonada...
Numa noite de lua cheia, cumpadre Libório arregaçô as manga e saiu com mais dois valentão da vila caçá o bicho peludo.Igino foi junto. Só  os treis vortô.O rapaiz apareceu no otro dia cheio de arranhão no corpo fraquim de dá dó.Dona Maria Pedroso cuidô dele o dia intero.De noite ele arranjô uma descurpa e sumiu de novo.Mas agarantiu pra Dona Maria qui o lobisome nunca mais ia aparecê por essas banda.E num apareceu mesmo.
È...Igino era gente boa sim sinhô.
Aonde anda?...sei dizê não sinhô...


Silas Santos
Enviado por Silas Santos em 10/10/2007
Código do texto: T688667
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Silas Santos
Diadema - São Paulo - Brasil
11 textos (883 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 16:56)
Silas Santos