Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sufoco



Encosto-me à porta de saída
Subo repentinamente para o topo do mundo
Lá em baixo dizem-se vivos
Apenas os vejo como pontos difusos
Meras formigas obreiras sem sentido

E falam-me da vida
Dos sonhos maravilhosos
Amor para sempre e essa entente
É tudo tão florido e agonizante
Mas o pensamento supera a maldição da solidão

Consciências ordeiras e liminares
Enganam-se com promessas de vitória engalanada
Deturpam a genuína vontade do saber fazer
Seguem dentro da sua moral forçada
Estupidificante

Não sinto alegria
A vontade de te querer é demasiada
A violência da tua ausência enlouquece-me
O ar que respiro é pesado
A porta atrás fechou-se de repente...


...POEMA QUE FICOU DE FORA DO MEU 1º LIVRO...
Manuel Marques
Enviado por Manuel Marques em 21/10/2007
Reeditado em 15/04/2014
Código do texto: T703272
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Manuel Marques
Espanha, 45 anos
548 textos (58972 leituras)
50 áudios (13972 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 09:16)
Manuel Marques