Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CATIRINA MORRE À MINGUA NA JANELA.

A
sebe sabe!
Solo seco sem água,
é mote certo que a honra mata.

É desamor que impinge ao homem,
impõe a dor, resigna, e o amor desarma.

É novena,
é reza, vela, choro e lágrima,
é poço que enche e seca o pote e a bilha,
é satã que a sapa mata a soco-e-golpe de língua sêca [meu boi],
é vida de carne-sêca [meu boi],
até que a morte lenta,
a todos matem à míngua
de mão fechada.

SERRAOMANOEL - SLZ/MA -  TRINIDAD - 21.10.2007.
serraomanoel
Enviado por serraomanoel em 22/10/2007
Reeditado em 22/08/2008
Código do texto: T704900

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
serraomanoel
São Luís - Maranhão - Brasil, 57 anos
1502 textos (158738 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 03:34)
serraomanoel