Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Razão, ração.

A carne fresca,
a carne quente.
Carne negra,
cozida,
necrozada.
Carne animal,
humana.
Suculento suco,
sangue.
O arroz e o feijão,
o futebol e a cerveja,
o sexo e o cigarro.
A carne,
maldita carne que me prende, que me faz inutil.
Maldita carne que engulo com nojo e veemência.
Santa carne nossa, de nenhum dia, arrancai-nos hoje!

O sangue percorre o corpo, a carne.
Percorre a face, as mãos.
Vaza, coagula.
Morre.

A carne sobra.
Léo Rigotto
Enviado por Léo Rigotto em 24/10/2007
Código do texto: T708526

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite: "Léo Rigotto, em http://baloubet.blogspot.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Léo Rigotto
Ouro Fino - Minas Gerais - Brasil
16 textos (410 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 14:40)
Léo Rigotto