Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CANTO DE POETA   (amor absoluto)






Ó, minha vida vivida...
Quando eu morrer, quero que a tua
nave de fogo desperte todos os túneis
adormecidos.
Quero que passe a tua mão sobre a
minha molhada areia.
Que cheires o meu amor por onde eu
andei.
Quero que respires a minha atmosfera.
E deslize pelo os céus a minha humilde
bandeira, e a todos anuncie o meu grito.
Se possível pinte as pupilas dos que não
sabem amar o amor.
Recolha e destrua todas as ausências de
sentimentos contida nos seres humanos.
Nas manhãs...
Nas tardes...
E noites, bata de porta em porta e entregue
O meu sangue sacramentado para que ele
continue vivo.
Aos que amo tanto, diga-os que
O meu canto de poeta transpassará todos
Os céus, as terras... e os esperarei com o
meu amor absoluto,
na eternidade.

ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 25/10/2007
Reeditado em 25/10/2007
Código do texto: T709290
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
ALBERTO ARAÚJO
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil
3135 textos (158881 leituras)
33 áudios (3215 audições)
35 e-livros (6651 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 01:57)
ALBERTO ARAÚJO

Site do Escritor