Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ong & Lazer

HETÉRIA, que não é mais secreta.
Surgida de uma profunda notícia vaga.
Derramado em pranto em volto de mar fechado.
Castigaria a sorte se não fosse o balbuciar errático.

PSITACISMO, mas conciso com objetivo eloqüente.
Não equivaleria ao céu de ensejo hipérbole?
Que cantem em júbilo os montes e a pedra.
Sobre a fronte não encarará à verdade.

OCULADO, em qualquer tempo que não fosse a minha vez.
As vezes parecia efeito, cocaína na minha cabeça!
De vez em volto minha vida um graveto.
És parte inerente do governo, cebo.

HALIÊUTICA, na face capitalista da barafunda.
Buzegando sorrateiramente ávio.
Cevado a pouquinho até  ponto exato.

Part: 2

Entre duas vilas declarei quase meio volta. Em torno de um céu que era mais quase seu. - Que viva eternamente a liberdade e o lazer! Que os pássaros voem e sem medo eu os conheçam! O que era duas vilas atrás de mim?
Quem suspendeu o ar sagas de pura melancolia. Que se esconde as faces, nus fios não se sebe claro ou escuro. Oh! Terrível escuridão, de cartolas truquentos. Acampei a trilha do meu casual. Em certo momento era quase três dias. Da noite pro dia diferença não se havia. A não ser pelo desconforto da poltrona ! A vivacidade e atroz de um viajante.
Que insistia  que a noite era dia. Pobre, esta completamente louco!
Bem, que quase acreditei quando olhei para o céu.
A face da lua era dia, ou era simplesmente o sol refletido?
Pequena turba. Observo, vejo, olho, me, distrair-me, não absorvo. Quieto, imóvel, parado. Alegre, triste, insensato. Vejo o tempo passar, com a campanhia me distraio. Sirenes ligadas, crimes imparciais. Paradas de olhar........ distantes.

Part. 3

Turbas de crianças sujas. Em meio de céticos. Em  seus rotos já não emendam mais. Tugir por não ter força, enfato de tanta ojeriza sem poder e querer fazer nada. KYRIE, KYRIE ! Ouça-nos !

Part. 4

O homem calafetou todo o seu ambiente, pez. A última criação destrói a primeira, és vez !

Final.

Pelo adro açu da escola, em um tufão que passou rápido vem consigo.
Tão leve, tão suave e tão belo.
O Buzegar.
Lendo-o em "sub teg mine fagi"
E caminhando sem olhar para trás.
Voa a minha mente; nova vida !!
Se nos amarmos.
O mundo inteiro vai mudar. É o paraíso.
laboriosidade
Enviado por laboriosidade em 27/10/2007
Código do texto: T711705
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome e o link para a obra original) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
laboriosidade
Carlos Chagas - Minas Gerais - Brasil, 30 anos
34 textos (2486 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 16:25)
laboriosidade