Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CONSCIÊNCIA LATENTE

Quisera ser um pássaro – um beija-flor, pode ser
Para estar em inúmeros lugares
Em diferentes jardins
Beijando e sentindo o néctar das flores.

Quisera, quem sabe, ser um ser outro
Um ser capaz de sentir as sensações estranhas
Sentir as emoções daqueles que se enganam como certos
Se é que sentem o sentimento gritando contra.
 
Há quem engane a própria consciência
Há quem ludibria e  que outros o encantam, será?
Há quem, na própria sede de ser o que não é,
Pensa que vive porque morto está.

Durmo calma e em paz com minha consciência
Latente ela está, mas há quem tente violá-la
E em não conseguindo, se esgueira por guetos imundos
Se esconde atrás da própria vergonha de ser rotundo.

Ah! Infame  mistura de mentira – verdade disfarçada
Herdada de seres inconscientes, fracos – não latentes
Fantasmas que se vertem, na ânsia de provar
E mentem porque é a forma de vida que conhecem.

Ah! Seres em eterna construção
Mas é a desconstrução do que não consegue construir.
Que engodo vivem tantos ...
Na loucura de ser o que não são.
Zete
Enviado por Zete em 28/10/2007
Reeditado em 28/10/2007
Código do texto: T714067

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Zete
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil
131 textos (9816 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 11:22)
Zete