Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Fútil

Rasguei tudo o que escrevi
Joguei fora o sonho inútil
Hoje do meu ser me perdi
Deixem-me ser tela fútil.

De novo agora na ausência
De algemas pr’ o esquecimento
Liquido a minha existência
Já falida em vão tormento.

Em leilão aberto ao vento
Rifo os sonhos de uma vida
Pagando eu pr’o sustento
Dessa brisa decidida.

Mas quem passou não parou
Nem os quis sequer olhar
Como um cão que abandonou
Sem remorso ao seu penar.

Coliguei-me com serpentes
Que na garganta rolavam
Mordi com todos os dentes
Venenos que encantavam.

E neste encanto me armei
De um fútil que não serei.
RoqueSilveira
Enviado por RoqueSilveira em 29/10/2007
Código do texto: T714950

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (citar a autoria de M. Conceição Roque da Silveira e o site www.letrasdispersas.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
RoqueSilveira
Portugal
235 textos (8527 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 19:17)
RoqueSilveira