Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"INFERNO EM MEU CORPO"



Tenho a mente desesperada,
não posso fazer nada,
sinto-me enclausurada,
tal qual fera enjaulada,
quando tenho pensamentos,
de estar vivendo tormentos...
Coração parece doente,
batendo feito louco,
pulsando diferente,
um dolorido palpitar...
Porque sou uma doida,
minha vida é toda errada,
só vivo ensandencida,
por meus demônios internos,
que já procurei por todos os meios,
deles me livrar,
ou irei num hospício parar...
Minha mente faz-se demente,
de pensamentos impuros,
sou como uma nau sem rumo,
sem destino certo,
sem porto para aportar...
Meu corpo não tem dono,
tem veneno e não amor,
quando me lanço sem pudor,
em aventuras ousadas,
que nunca terão futuro,
deixando-me mais e mais,
da vida desencantada,
quando em quartos de motéis,
passo as minhas noites,
com homens diferentes,
que não me dizem nada...
Apenas matam a minha fome,
de sexo insaciável,
deste furor uterino,
que marca meu destino,
tal qual uma Messalina,
uma puta em desatino...
Quero meu Amor de volta,
batendo à minha porta,
estou à tua espera,
já não agüento mais,
por favor,ouça os meus "Ais"...
Este meu sexo ardente,
não sabe viver sozinho,
precisa de carinho,
de tua boca quente,
que me lambia indecente,
fazendo-me de prazer gritar,
e com meu corpo trêmulo, ficar...
Estou enlouquecida,
tal qual fera ferida,
que arriscou a própria vida,
para ter o seu amor,
entremeado de furor,
levando à própria alma,
em delírios tão eternos,
a sentir em meu coração,
a dolorosa sensação,
de viver no próprio Inferno...
Amores sem pudores,
acontecidos no passado,
fizeram-me deixar de lado,
o Amar verdadeiro,
aquele que nos traz,
vontade de querer mais...
Virei mulher cruel,
a Messalina do papel,
conquistando desejos insanos,
muitas vezes,
execrados pelos Homens...
Venha, meu doce amor,
ajuda-me, por favor,
leva-me com você,
pois sinto que vou morrer...
Quero provar de seus beijos,
matar nossos desejos,
mesmo sendo profana,
sou mulher e amante,
do homem que é guerreiro,
e não tem medo de enfrentar,
a crítica do povo infame,
que não sabe discenir,
um Amor tão grandioso,
de outro que é apenas aventura,
tornando-me cada vez mais impura...
Quero você, amado meu,
que à minha alma ilumina,
findando assim,minha triste SINA....



Direitos Autorais Reservados

NITERÓI - RJ

GRAÇA da PRAIA das FLECHAS
Enviado por GRAÇA da PRAIA das FLECHAS em 15/11/2005
Código do texto: T71773

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (não a modificar em nada ,Cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
GRAÇA da PRAIA das FLECHAS
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil
538 textos (132952 leituras)
36 áudios (30833 audições)
1 e-livros (167 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 19:55)
GRAÇA da PRAIA das FLECHAS