Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Na rua, Chico Mendes

 

 
Com nome do Chico Mendes,
Sem alça nem calçada,
Esta rua não sobe nem desce,
Nem vai trabalhar,
Anda descalça no limo barrento,
Criança correndo, nariz escorrendo,
Esquina do Posto, da Escola e Igreja,
Quer salvação.
Busca a vida e se reproduz
Querendo remédio, consolo e educação.
 
O desemprego colocou seus moradores,
Enchendo as cadeiras de pedras,
Na sombra das árvores, sentados de beira na rua,
Onde, o único com pressa passa,
Ônibus empoeirados, com bronquite, rinite e
Sonhos coletivos.
 
Poderia trazer o mar,
Com a praia e o azul,
Para estes lados, ao invés do asfalto,
Que carrega o Rio a São Paulo,
As cabanas dos posseiros seriam campings de barracas,
Das mulheres de chinelas aos shorts e mini blusas,
Uma comunidade com proteção solar, turística ou cultural,
Agora, Área de Proteção Ambiental,
Dos bichinhos e amebas aos golfinhos,
População preservada, não só com camisinha, mas legal,
Com direitos  nunca vistos pela lei municipal.
 
 
Ninguém por ali morreria, nem o dono da rua, o Chico Mendes,
Quanto mais assassinado.
A Linha de Trem paralela
Seria replanejada e a tudo empregaria.
Em sua primeira viagem, de ladrilho,
Cobriria o chão- calçadão da
Praia da Barra I, agora sim, Jardim Esperança!
 
   
Marise Cardoso Lomba
Enviado por Marise Cardoso Lomba em 15/11/2005
Reeditado em 30/01/2013
Código do texto: T72131
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Marise Cardoso Lomba). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Marise Cardoso Lomba
Resende - Rio de Janeiro - Brasil, 60 anos
43 textos (2442 leituras)
1 e-livros (38 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 12:42)
Marise Cardoso Lomba