Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SONHOS ENTORPECIDOS

Ao tragar aquela fumaça
Ele acendia sua desgraça,
Tornava-se escravo de um vício.
Que o jogaria no precipício.

Envolvia-se por uma alegria contagiante
Que durava apenas alguns instantes,
Mas quando passava o efeito,
Voltava àquela velha dor em seu peito.

E a fumaça virou pó,
Depois pedra, algo injetável,
E mesmo assim sentia-se só,
Perdido e cada vez mais miserável.

Da criança pequena e amada
Resta muito pouco ou quase nada,
Apenas um corpo completamente perdido,
Sem vida, sem esperança. Entorpecido.

Todos os sonhos foram queimados,
Sugados por alguma seringa contaminada,
E seu corpo hoje todo picado-
Abriga apenas uma vida destroçada.

Não há mais sonhos ou dignidade,
E o que começou como curiosidade
Nos tragos, cheiros, picadas,
Matou o homem a golpes de “pedradas”.

Vendo-se morto e abatido,
Ele nada consegue fazer,
Foi pelo tormento vencido,
Agora só resta em vida morrer.

E a mesma dor lhe acompanha,
Somada a uma outra ainda pior,
Nascida de uma fraqueza tamanha
Que torna o sofrimento ainda maior.

Acreditou nos sonhos de fantasia,
Viveu uma vida triste e vazia,
Deixando de lado tudo que aprendeu
Agora não pode voltar atrás – morreu!

Seu corpo esquelético, em algum lugar esquecido
Será apenas mais um a virar estatística
Em algum instituto de pesquisa,
Sem nome, sem história, sem vida!
Ângela M Rodrigues O P Gurgel
Enviado por Ângela M Rodrigues O P Gurgel em 07/11/2007
Código do texto: T726954
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ângela M Rodrigues O P Gurgel
Mossoró - Rio Grande do Norte - Brasil, 54 anos
1555 textos (396906 leituras)
5 e-livros (496 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 17:07)
Ângela M Rodrigues O P Gurgel