Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Colecionador

Medalha

No meu peito cravei mais uma medalha.
E não foi de ouro.
Talvez de latão, de cocô ou de qualquer excremento.
Milésima quinta vez, quem sabe...
Já perdi as contas.
Não dá mais para registrar em números,
só em milímetros cúbicos de lágrimas derramadas.
Reflexo imediato e não controlado da dor
de tentar, de ousar,
Da dor de viver.
Pois só se dá ao luxo de perder aquele que arrisca,
Que tenta, que desafia.
Só os fortes colecionam derrotas.
Lilia Lustosa
Enviado por Lilia Lustosa em 07/11/2007
Código do texto: T727871

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lilia Lustosa
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 43 anos
14 textos (264 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 10:00)
Lilia Lustosa