Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As alternativas estão se esgotando

A grande questão que deu origem a filosofia, a ciência e a religião é uma só:
Por que é que existe alguma coisa e não nada?
De fato essa questão gerou a preocupação humana de tentar explicar porque as coisas existem.
Existe algum sentido para a realidade? Existe algum sentido para a vida? Por que é que existimos?
Ou será que nós somos apenas então somente seres que existem e depois falecem?
Por que é que existe alguma coisa e não nada?
Para as respostas a essas perguntas há 3 fontes especulativas: na filosofia, na ciência e na religião.
A religião é uma dessas fontes, não é a única e nem a melhor. Mas, é a mais podero$a, pois a religião, por lidar com coisas que são improváveis, ela tem um ar de mistério muito mais carregado do que a ciência e do que a filosofia.
Tudo aquilo que é improvável ganha um ar de encantamento esplendoroso.
Até hoje, a ciência, a filosofia e a religião tem se mostrado impotentes para demonstrar as razões da existência do universo da consciência humana.
Não são nos princípios conflitantes dos manuais religiosos, filosóficos e científicos que vamos chegar a ter a real percepção que tudo e o fato sim é SABER e TER a "percepção consciente" de quanto há de imbecilidade em nossas mãos.
Estamos em um sistema-mundo em que tudo é mercadoria, em que se produz loucamente para se consumir mais loucamente, e se consome loucamente para se produzir mais loucamente. Produz-se por dinheiro, especula-se por dinheiro, mata-se por dinheiro, corrompe-se por dinheiro, organiza-se toda a vida social por dinheiro, só se pensa em dinheiro. Cultua-se o dinheiro, o verdadeiro deus da nossa época. Um deus indiferente aos homens, inimigo da arte, da cultura, da solidariedade, da ética, da vida do espírito, do amor. Um deus que se tornou imensamente mediocrizante e destrutivo. E que é insaciável: a acumulação de riqueza abstrata é, por definição, um processo sem limites.
Cidadãos. Povo, Eleitores e Candidatos são sabedores de suas intenções seja elas quais são e isso é "uma consciência" ?
Fundamental seria promover um pensamento na tentativa de se criar uma personalidade organizada onde a sociedade chegasse a exercer os reais valores da consciência coletiva, derrubando os velhos conceitos, pensamentos e normas inadequadas e abolindo certos pensamentos e condutas que estão superados, jogando fora tudo o que está segmentado, esclerosado, mofado, transformando ou criando novos pensamentos na pratica de ações e atitudes, estabelecendo assim, uma nova ética a exercer em beneficio de condutas para todas as partes da prática um tudo coletivo.
Infelizmente as alternativas estão se esgotando...
Plínio Sgarbi
Enviado por Plínio Sgarbi em 17/11/2005
Reeditado em 17/11/2005
Código do texto: T72869
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Plínio Sgarbi
Jaú - São Paulo - Brasil, 54 anos
241 textos (218068 leituras)
21 áudios (3298 audições)
5 e-livros (510 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:30)
Plínio Sgarbi