Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

(Célia de Lima)

As almas têm a cor do seu sentido:
o que se dá à vida, o que se pede.
A vida tem a flor do meu sorriso...
mais linda, quanto mais à flor da pele.

Sou negro, sou índio, e branco também.
Sou força e vida na Luz que me vem.
Sou ave e canto, suave e febril.
Sou riso e pranto no chão do Brasil.

E aonde quer que eu vá, eu vou inteiro:
o corpo em pele, alma e emoção.
sou negro, índio, branco... brasileiro.
Sou prisioneiro só do coração.

...............................

(28/10/2007 - Por solicitação do estudante Hermes dos Santos
de Sumaré, SP, para o seu trabalho escolar sobre preconceito racial.)

Célia de Lima
Enviado por Célia de Lima em 14/11/2007
Reeditado em 28/04/2011
Código do texto: T737055
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (Celia de Lima). Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Célia de Lima
Muriaé - Minas Gerais - Brasil, 49 anos
116 textos (13834 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 00:54)
Célia de Lima