Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

encontro da tarde

Astréia criatura
Sua pureza me ofusca
Sua ingenuidade me cala
A languidez de seus olhos
Me recorda a lascívia

Seu cabelo escorrem
sobre a face a dentro
Corrompendo sua fisionomia
Um olho me evita,
outro olho me convida
Fico confusa.

Seu rigor semântico
Cobrem os fonemas
de tônicas
e oclusivas

Sua boca entreaberta
Parece soprar reticências sobre tudo
O infinito das sombras
da tarde
Tingem de rubor
o calor ressentido das palavras

Ao final nos cumprimentamos
Tacitamente
Seu olhar lambe o meu
E ceticamente me afasto

Quando em verdade
Queria grudar-me ao corpo

Morna sensação é bafejada pelo vento
Que frio quase provoca
um choque térmico

Envolvo-me com o casaco.
Abraço-me,
Rebusco-me, procurando
aquecer-me,
esquecer-me,
apagar-me do
cenário sombrio

A beleza pictórica circundante
Me faz girar num cêntrico
imperfeito
A busca de imagem,
da estética

As palavras dormem a madorna
Do meio-dia
Secas e famintas de ouvintes

Os poemas esses são nutridos
Secretamente tal como os pássaros
Que sobrevivem as piores
intempéries

Os poemas são cartas anônimas
de sobreviventes,
escritas por aqueles
que resgatam a eternidade
do esquecimento frugal
provocado pelo fim da tarde.




Gisele Leite
Enviado por Gisele Leite em 14/11/2007
Código do texto: T737527
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Gisele Leite
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1649 textos (3728389 leituras)
35 áudios (5080 audições)
25 e-livros (143608 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 00:29)
Gisele Leite

Site do Escritor