Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Adequações

(Comentando um poeta amigo)
 
O papel em branco... o escrevemos ás vezes com opções inadequadas. Porém, sempre com a possibilidade de reescrevê-lo. Certamente, em muitos momentos a inspiração é sim, ferida com os dardos do desencanto e a ilusão revestida de engano... Mas esta, apesar de ferida, machucada e abarracada, se faz presente mais viva do que jamais esteve e a ilusão essa, se reveste de nova roupagem... o desencanto perde e por Amor é re-encantado...Tudo é questão...
E as marcas, essas, não devem ser apagadas, mas permanecer para lembrarmos do que éramos e entendermos o que hoje somos... não no corpo corruptível, que nada vale, mas na Alma que é eterna! Esse ser teatral, que age ás vezes como animal, pode ser a amargura sim, mas é também o Ser desejado, e amado ao ciúme, agraciado com a dádiva do amor à Vida e mais do que isso, amor ao Homem que é humano e divino, selado com o selo régio do Criador...
 
O perdão é o início do reescrever... o revestir de nova roupagem...a porta para o reencantar-se. Por amor se pede perdão e por amor se perdoa. Por e pelo Amor se reconhece o erro, mata-se o egoísmo e da-se á humildade. Por e pelo Amor renuncia-se e por Amor oferecem-se as lágrimas, e a dor é então suplantada.
 
                                                                                                               (Eliete Madureira)
.
Eliete Madureira
Enviado por Eliete Madureira em 18/11/2007
Reeditado em 12/12/2007
Código do texto: T742094

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Eliete Madureira
Uberlândia - Minas Gerais - Brasil, 57 anos
15 textos (684 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 22:40)
Eliete Madureira