Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A(PENAS) HUMANO



Escrevo linhas de fé

Entre as brechas da saudade

Como quem só quer, 

No amor que nos invade,

Um réquiem do sol que nos vier

Como verso em luz e tempestade...




E, assim, disperso toda chama

Do que seja a lama da mentira

Na peleja de quem sente e mesmo ama,

De repente, no céu que nos insira

Um só véu contra o universo que declama

O mesmo verso de comprar a mesma lira...



Não, não rimarei mais nada...

Amarei apenas o que for humano,

E, ainda assim, frágil, lídimo e vulnerável,

Entre estrelas brilhantes de almas que pedem

Sonho e luz, muito além da vida,

Muito além de tudo que possa ser poético...



E, por isso, escrevo linhas quaisquer,

Linhas de fé, desenhadas pelo sonho,

Minhas, ou suas, ou nossas

Emoções intrépidas do que seja humano. 



----

Juliana Silva Valis
Enviado por Juliana Silva Valis em 20/11/2007
Código do texto: T745326

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Juliana Silva Valis
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 33 anos
3973 textos (881754 leituras)
4 e-livros (1863 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 02:12)
Juliana Silva Valis