Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cotia - Parte 3

Estes causos fazem parte de uma homenagem ao meu Pai, Afonso Paulo da Silva, o “Cotia”... (Vide Cotia Parte 1).

Capítulo 3 – Cotia e o tiro pela culatra

Velório que era velório tinha que ter a presença do Cotia. Quem já o conhecia sabia que ele tinha a péssima mania de “soltar bufas”, bem alto, na presença do falecido e dos demais presentes. Dizia ele que era uma forma de protesto pela presença de pessoas que ele julgava hipócritas, nunca em desrespeito ao defunto.
O fato inusitado ocorreu por ocasião da passagem do falecimento de seu amigo, o Negro Bicudo. “Nego bão” como ele costumava dizer, trabalhador da antiga fábrica de massas CICA, em Delfim Moreira.
Nesta feita, chegou a cavalo na casa do falecido, acompanhado de seu compadre e irmão Sebastião Silva, mais conhecido pela alcunha de “Mandiocão”, o qual já premeditara o que estaria por vir.
Ao adentrarem a sala onde estavam entre os presentes, além de Bicudo é claro, um de seus compadres, João Eva, metido a afazeres da igreja, mas que no fundo era um carrasco com a esposa e familiares, como era do conhecimento de todos na região.  Após um breve cumprimento a todos e uma oração mais breve ainda, resolveu sair, e ao passar diante do “Benedito-Cujo”, caprichou na soltura do rojão.
Acontece que o esforço fora tanto, que sentiu imediatamente a ceroula (naquele tempo não existia cueca) encher de merda e escorrer perna abaixo.
Apressou a saída, a fim de encontrar refúgio e reparar o estrago que havia cometido.
Montou a cavalo, sem dizer nada a ninguém, a fim de voltar a sua casa na cidade que ficava a uns 5 km aproximadamente, onde chegaria certamente juntando mosquitos.
Retornou de madrugada, contou o fato aos amigos, bebeu cachaça, contou e ouvi causos e também rezou é lógico, como convinha a ocasião.

Conseqüência: Continuou a comparecer a velórios, continuou a “soltar rojões”, porém só fez isso na presença de João Eva apenas uma vez, no dia do velório deste seu desafeto.
Paulo Kostella
Enviado por Paulo Kostella em 21/11/2007
Reeditado em 13/09/2010
Código do texto: T745906

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Kostella
São José dos Campos - São Paulo - Brasil, 58 anos
922 textos (179765 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 19:32)
Paulo Kostella