Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ampulheta

Cuido de mim mesma nesse momento
Em que o tempo, ora entra pela janela, ora se esvai
Afago-me, fortaleço-me e mereço-me
Exponho-me ao sol de hoje, ameno porém justo
Na medida certa do tempo

Na ampulheta as finas areias deitadas ao fundo
É o viver escorrido, esgotado, deixado vazio
Posso inverter o lado e começar do começo do tempo
Posso preencher no fortalecimento
Posso sempre, está em minhas mãos somente.

Posso colorir o deserto, me envolver nos grãos mais finos
E me integrar no tempo que passa inevitavelmente
Preencho minhas mãos de fibras de vontades
E me faço inteira juntando-me ao que não é mais árido
No convexo pode estar o côncavo conciliando o bom do tempo
Regina Romeiro
Enviado por Regina Romeiro em 21/11/2007
Reeditado em 21/11/2007
Código do texto: T746045

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Regina Romeiro
São Sebastião - São Paulo - Brasil
483 textos (29658 leituras)
4 áudios (711 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 20:53)
Regina Romeiro