Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Gaiola vazia

 

Sentado a beira da estrada,

observando as pessoas que passavam

um menininho chamou minha atenção.

Cabeça baixa caminhava lentamente,

levando com ele uma velha gaiola

enquanto assobiava uma canção.

 

Vendo o menino e a gaiola vazia,

fiquei curioso, o menino eu chamei

lhe perguntei, onde está o passarinho.

Com, olhar triste o menino respondeu,

moço não brigue, que eu vou lhe contar,

esta gaiola eu roubei, do meu vizinho.

 

Nesta gaiola, vivia um velho sabiá.

seu canto triste me acordava toda dia

foi por isso moço, que eu o libertei.

Eu errei, mas não me arrependo

eu fiz aquilo, que o meu coração mandou,

embora eu tenha agido contra lei!

 

Adeus moço, que eu já vou embora,

tenho uma gaiola, que preciso entregar

eu só não sei o que dizer, para o vizinho.

Para que ele não brigue comigo,

mas se ele brigar não tem importância

aquele sabiá... agora, está em seu ninho!

 

Balneário dos Prazeres: 21 / 11 / 2007



Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 21/11/2007
Reeditado em 17/01/2008
Código do texto: T746762
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
2316 textos (148995 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 07:57)
Volnei Rijo Braga