Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Arrancando a carapuça

Cansei-me de disfarçar os medos comuns;
De tornar a humildade uma égide à existência,
De espantar-me com a fugacidade alheia,
Ou mesmo de orgulhar-me por não ter orgulho.

Anseio não mais ter paixão,
Nem esperança,
Mesmo que seja a única solução;
Espero não ter mais o que esperar.

Invejo, como sempre, os impuros.
Esses sim me causam espanto.
Extasio-me com seus contorcionismos tétricos,
Que à olhos mortos parecem ousados;
Mas de perto, nem tanto.

Neste dia pretendo despir-me da tortura,
Respirar a aurora renovadora.
Iniciaria a manhã preferindo outro lugar...
Mais sujo e mais humano do que este!

Valter Pereira
Enviado por Valter Pereira em 22/11/2007
Código do texto: T748043

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Valter Pereira
São Paulo - São Paulo - Brasil, 40 anos
237 textos (8181 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/17 01:55)
Valter Pereira