Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Castelo de Areia


Olho as fotos dessa vida e vejo muito além do que vi quando as tirei..
Além de ver um menino carente, sem rugas e cheio de sonhos vejo hoje a imaturidade que antes tinha, vejo que mudei...

O que tinha de tão incrível era um brilho, uma Luz que emanava de todo meu ser..
Sei que hoje não tenho mais, sei que mudei...
Eu sei que sou o culpado pelo meu próprio presente
Fui tolo, infantil e eternamente serei o mesmo menino carente, mas hoje sei que não conseguirei suprir meus anseios em um outro alguém, sei que não tenho mais jeito...

Sou pedra marcada, jogo roubado, carta virada. Consigo hoje ver meus erros mas inda assim carrego marcas. Carrego cicatrizes que vão de dentro para fora e se expõe, me encabulam e retraem
Nunca desejei um amor assim, para toda vida, até encontrar alguém que me fez acreditar, acreditar que a vida era feita para nós;

Incrível é ver o que algumas fotos são capazes de captar, vão além da realidade, contam a verdade..
Queria eu ter a chance de poder no tempo voltar, e fazer diferente, ser alguém completamente distante do que fui e ainda sou.
Como seria bom poder ser melhor e mais sábio!
Saber das ciladas da vida antes de com elas me deparar, saber dos feitiços antes do veneno beber, saber dos encantos antes deles me encantar...

Vivi meus anos como se não houvesse o amanhã.
Fiz e refiz meu destino e caminho por tantas vezes. Respeitei apenas meu pai e mãe e deles guardei e ainda guardo vários segredos. Mas eles foram sempre minha fortaleza única, minha pedra firme que me mantém no chão mesmo querendo voar.
Sei que embora não vou, aprendi que o cenário muda mas o personagem continua o mesmo. Meus erros, medos e cicatrizes continuam em mim, e dentro de meu sofrido coração;

Sinto falta de poder abrir me e deixar as feridas sangrar, mas hoje nem isso mais consigo
Vejo as malditas fotos de quando com ela estava e olho bem em meus olhos e sei que estava acima de tudo iludido. Foi para mim como um conto de fadas que terminou com flores despedaçadas, corações partidos, lágrimas e muita dor de cabeça!

Por que amei tanto da forma que amei? Não sei...
Sei que se hoje desse mundo me fosse levaria comigo pouco
Apenas a certeza de que nada será como antes, a verdade de que tudo acaba, de que existem feridas que nem o tempo apaga e de dores que jamais se vão.
E que fracassos são medidos não pelo prejuízo que eles causam mas sim pelo tamanho da expectativa, então hoje tornei me alguém que não tenho o orgulho de ser, não confio mais em ninguém e sei que jamais viverei um grande amor!
Não tenho mais medo dos fracassos, pois sei que eles virão, e quanto mais conheço as pessoas mais sei que um dia elas me decepcionarão.

Tenho consciência de que fui vítima de minha própria ambição, não acreditei que um dia meu castelo de areia desabasse, e tampouco eu previa que um ônibus me levaria ao chão
Vivi como se não houvesse outra chance e paguei o preço por isso
Tive bons momentos mas também muitas chances..

Amigos para toda vida e canalhas que nem lembro o nome
Sei que cobrança em cima de mim sempre foi grande, sei que poderia ter ido ao parque dado uma volta e retornado para casa, mas me distraí no caminho e fui além..
Fui seguir o arco íris e quando até o fim cheguei, ele sumiu.. Vi com meus próprios olhos meu tão sonhado arco íris se desfazer e a onda do mar, do oceano frio e profundo derrubar e desfazer meu tão valioso castelo de areia.
L Nissola
Enviado por L Nissola em 22/11/2007
Reeditado em 19/02/2008
Código do texto: T748170

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
L Nissola
Curitiba - Paraná - Brasil
65 textos (3853 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 02:12)
L Nissola