Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Compassivo

Eu não sinto mais a minha humanidade.
Não sinto as dores costumeiras,
Não tenho acesso de lamentações,
Não grito quando recebo noticias desagradáveis,
Não pratico coisas irreparáveis.

Não choro quando vejo o amor ir embora,
Não falo de mim mesma a toda hora,
Não faço pelos meus amigos o que eles não fariam por mim,
Não sou eu mesma,
Nem sei o que nisso há de ruim.

Não fujo das situações complicadas da vida,
Não me importo com as feridas banais.
Não sinto falta das coisas que não existem mais.

Não sou humana,
Não sou Deusa,
Não sou pecadora,
Não sou sentimental,
Não sou sensível,
Não quero felicidade,
Não conheço tristeza,
Não tenho vaidade,
Sempre saio ilesa.

Não desejo ninguém,
Não sou desejada.
Falo com todo mundo
E estou sempre calada.

Vivo sem prantos imundos,
Não sou pra ninguém, a namorada.
Eu falo com todo mundo
Mas estou sempre calada.

Desperto toda a atenção
E ternura não me falta.
Quero ser sincera,
Mas não quero ser amada.

Quero deixar para o mundo
Coisas que eu nunca entendi.
Vivo de sonhos inundos
Num mundo ao qual nunca pertenci.

Queria, de verdade,
Ser tudo que eu disse aqui.
Anja do tempo
Enviado por Anja do tempo em 23/11/2007
Reeditado em 26/11/2008
Código do texto: T749054

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Anja do tempo
Coronel Fabriciano - Minas Gerais - Brasil, 28 anos
250 textos (42610 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 16:49)