Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
ENQUANTO O SOL NÃO VEM


“Aqui está minha dor,
Esse coral quebrado,
Sobrevivendo ao seu patético momento”
(Cecília Meireles)
------------

Olhos noturnos;
Lançados,
Sobre meu corpo,
Cansado,
Perco-me de mim,
Breu;
Desmancho-me,
No silêncio assusta(dor),
Grito!
Tento recuperar,
A dimensão perdida,
Medo – desenredo,
Culpa desmedida,
Cerco dos fariseus,
Peço perdão a Deus,
Pelo o que não fiz,
(A alma contradiz),
Teço melancólicos pensamentos,
Apesar da janela,
Escancarada para rua,
Sinto-me prisioneiro,
E não sei o que fazer,
Desse momento,
Que ofusca o meu horizonte.
------------
As horas parecem cansadas,
O pranto rasga o tempo,
E por trás dos montes,
O sol da esperança – descansa,
Alheio às batidas descompassadas,
De um coração;
Templo da solidão.
DELEY
Enviado por DELEY em 23/11/2007
Reeditado em 23/11/2007
Código do texto: T749278

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
DELEY
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
4964 textos (187821 leituras)
4 e-livros (1657 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 09:57)
DELEY