Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Vai-vem.

Sempre sem pé nem cabeça
cabe que eu te mereça?
Meu ressarcimento pelo aumento do tormento:
tomei o meu assento.
Lamento!
Não abro nem ao trem
que vem lá do outro lado,
do outro estado,
trazendo o verso errado.
Um fado de Lisboa soa, “ai, quero teu garbo”.
Quero teu afago e não abro a ninguém.
Encolho os ombros e digo, “tudo bem”.
Deito de frente, ou de lado, conforme te convém.
E vem tu que me deleitas, deita!
Dei a ti, porém, meus tantos e tantos anos vindouros.
Vinde, ouro reluzente!
Vinde, ente! Querendo-te, hein!
Um clássico lado a lado no vai-e-vem.
                                                              Vai.
Vem.
                                                               Vai.
Vem.
                                                         
                                                          (“Ai, quero o teu garbo”).
Dou-te meu garbo!

                                                               Vai.
Vem.

                                                                 ("Ah, que lindo fado").
Ah, como te falo!

       Vai.
Vem.
        Vai.
Vem.
                                                                      ("Ah, meu bem!").
Não abro nem ao trem!
                                                               
                                                                 Vai.
                                                                                     FOI!.

Fui.... Ah. Enfim, marasmo.
Fui bem?
                                                                                   ("Ah!").
                         E ainda temos tanto tempo...

Em tempo: Um abraço ao inspirador Marcus Vinícius Placido dos Santos (não sei o seu epíteto aqui. depois que trocou). Admiro teu talento, amigo, como de tantos aqui. Esse se inspira, um pouquinho, em alguma coisa escrita por você. Espero mesmo que tu e alguém mais entenda.
Arpejo
Enviado por Arpejo em 25/11/2007
Reeditado em 25/11/2007
Código do texto: T751545

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor w o link para o site "www.sitedoautor.net"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Arpejo
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 39 anos
83 textos (3544 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 16:17)
Arpejo