Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Navegante

Todos estamos num mar
Navegar é preciso, viver se vive
A viagem é a metáfora da vida, e de fato,
Viver é viajar de algum lugar pra algum outro lugar
É trocar de cais

Mas ninguém me ensinou a navegar
Nem meus pais, nem meus livros, nem meus discos
Eles só me deixam mais confusos
Mais estranho

Quando dei por mim estava num porão
De uma antiga embarcação
Acorrentado, remando sozinho no escuro
Cortado por um ínfimo facho de luz
Que escapava da escotilha

La fora o mar, o som das ondas agitadas pelo vento
Quando cheguei aqui?
Eu sei (pelo menos isso)
Por que não antes?
Escolhemos vários cais na vida
Até mesmo oceanos distintos
Exceto o primeiro, o último e outros mais
A gente vai vivendo, infeliz ou contente
Navegar é preciso nesses mares

Saí do porão do navio
Numa tempestade sombria; num temor vazio
Aos poucos vejo o sol
E expurgo os fantasmas de vidas passadas nesta mesma vida

Anseio calmarias, mas estranho
E em terra firme sinto a maresia
Também aprendi a cantar contos de marinheiros
Lendas de mundos distantes e inesquecíveis
Que um dia vou conhecer
Quando aportar pela última vez

(18 de Julho de 2006)
Éverton Vidal Azevedo
Enviado por Éverton Vidal Azevedo em 26/11/2007
Reeditado em 26/11/2007
Código do texto: T753757

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (você deve citar a autoria de Éverton Vidal Azevedo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Éverton Vidal Azevedo
Bolívia, 34 anos
40 textos (2349 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 13:07)
Éverton Vidal Azevedo