Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
NO VÃO DA NOITE


Entortei a linha reta,
Extingui o ponto final,
Ignorei o sinal de alerta,
Apossei do espaço sideral.

Deixei a porta aberta,
A loucura entrou; que festival!
Cismei que eu era um poeta,
Acima do bem e do mal.

Fui o alvo da seta,
Desafiei o temporal,
Transformei em seresta,
A mesmice descomunal.

Penetrei pela fresta,
Consertei o palácio central,
Aparei as arestas,
A harmonia foi total.

Vi que a hora era esta;
Abusei do irreal,
Recebi como oferta,
A vida com gosto de sal.

Me encontrei na hora incerta,
A morte me sorriu fatal,
Odiei-a; a alma foi mais esperta,
Ainda tinha um ideal.

Suor frio escorre na testa,
Já é quase matinal,
Entre a mulher e a coberta,
Acordo do sonho afinal.
DELEY
Enviado por DELEY em 26/11/2007
Código do texto: T754045

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
DELEY
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
4937 textos (186993 leituras)
4 e-livros (1657 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 20:23)
DELEY