Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Como a letra de um péssimo bolero...


Diz que não o ama
Que o odeia
Que não pretende vê-lo nunca mais.
Chora, fala mal,
Vocifera aos quatro ventos
O quanto foi traída, humilhada e
Que se decidiu pelo fim.
Publicamente expõe sua dor
Nos bares
Arrastando correntes,
Mergulhada num mar de autopiedade,
Protagonizando vexames,
Exigindo a atenção de todos.

Passado algum tempo
Ei-la justificando-se,
Justificando-o.
Pedindo perdão até pelo que não fez
Rendida, esgueirando-se pelos lugares que ele freqüenta,
Alma mutilada pela dependência, em estado de completa
Servidão humana.

As feministas execram-na.
As extremadas encorajam-na.
E eu, que me considero do rol das sensatas, julgo-a.
 
Porém, a idade me permite refletir,
Salomônicamente considerar que é apenas humana.
Refletir que não deverei dizer “dessa água não beberei” e,
Por via das dúvidas, murmurar uma prece:
“... não me deixais cair em tentação,
Livrai-me do mal, amém.”

EDNA LOPES
Enviado por EDNA LOPES em 01/12/2007
Código do texto: T761098

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Edna Lopes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
EDNA LOPES
Maceió - Alagoas - Brasil, 54 anos
1387 textos (376136 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/17 01:57)
EDNA LOPES