Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DESPEDIDAS



Tão árido como o seu pensamento
era o espaço que eu também trilhara
andando  sobre areia como tormento
mas eu pisava leve sobre a coisa rara.

Nos dias de sol que antes se escondia
atrás de espessas nuvens que aparecia,
ficava eu assim em constante espera,
sonhando e tecendo minhas quimeras.

Então o pensamento, que antes eu tivera,
em imaginar  poder viver seu pensamento,
ao me colocar só e em compasso de espera,
toda nossa dor ia aumentando meu lamento.

Você nada sabia daquilo que queria
Parecia ser folha ao sabor do vento
E eu que sabia e tentava a harmonia
vi-me perdido  ao sabor do tempo.

E assim seguimos durante nossa vida,
onde cada um ia falando de sua fobia,
tão logo me despedi e coloquei a brida,
você se lamentou da dor que não sentia.

E quando, afinal, chegou nosso momento
em que cada um de nós seguia seu caminho,
entendi que uma vida pode ter divertimento,
mesmo que todas as flores tenham espinho.

30/11/07 – VEM.
Vanderleis Maia
Enviado por Vanderleis Maia em 03/12/2007
Reeditado em 15/08/2008
Código do texto: T762613
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vanderleis Maia
Imperatriz - Maranhão - Brasil
1412 textos (111914 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 19:02)
Vanderleis Maia