Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Palavras soltas

Por entre a copa das árvores da minha rua,
O vento sopra, não deixando uma folha.
É um dia de Outono,
Não menos rigoroso que tantos outros.
Os pássaros recolhem-se nos beirais.
Outros que nas árvores ficaram, regelam.
O céu começa a escurecer.
As nuvens carregadas não deixam dúvidas,
Uma tempestade se aproxima.
Outra tempestade invade o meu peito,
Antevendo eu,
Que a tormenta vai ser grande!
Meu Deus, mas porquê?
Porquê um castigo tão grande?
Foi a vontade divina!
O sofrimento é sempre vontade divina.
Não consigo enxergar o que te levou a torturar-me!
Como vou enxugar estas lágrimas minhas?
Tenho sido assim tão má pessoa?
O mar sim! Esse por vezes é mau!
Mas nós gostamos dele! Porquê!
Porque ele nos afaga, e nos abraça!
Mas porquê essa indiferença?
Eu também te afago e te abraço!
Meu amor não te esqueças,
Depois da paixão esvair-se,
Só uma coisa nos resta…
A lembrança!
Carlos Jorge Gomes Candan
Enviado por Carlos Jorge Gomes Candan em 04/12/2007
Código do texto: T764891

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Jorge Gomes Candan
Portugal
51 textos (1408 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 08:54)
Carlos Jorge Gomes Candan