Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

" CARTA DE UM IDOSO"

Filho, Tem sido muito difíceis os meus dias aqui.
Trouxeram- me eu não diria que à força, pois essa eu já não tenho há muito tempo.Resumiram minha vida inteira em uma mala, e largaram- me aqui como algo que já não serve mais,
Disseram que queriam paz.
Não vejo ao meu redor nenhum rosto conhecido,
No semblante de cada um muitas rugas, poucos dentes e cabelos,
Muitas lágrimas, solidão e pesadelos.
Todos com histórias de batalhas travadas na vida, e que agora passada a guerra são jogados à própria sorte.
Nós somos armamento antigo,
Somos barcos à deriva.
Não temos previsão de ir embora, pois o tempo não é tão importante por aqui,
Nesta madrugada um amigo de quarto se "foi" e eu queria essa sorte pra mim . . .
Quando é dia de visita, eu me arrumo, faço a barba e me penteio.
Mas passa o dia, vem a tarde e eu desisto. . .  ninguém veio.
Filho, vivo aqui nessa prisão,então por certo sou criminoso, mas não sei porque estou entre grades e nem que crime cometi.
Mas filho, me perdoe, desculpe se envelheci . . .
beto poeta
Enviado por beto poeta em 05/12/2007
Código do texto: T765848

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de José Roberto dos Santos silva e o e- mail pegasus_gja@yahoo.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
beto poeta
Guarujá - São Paulo - Brasil, 48 anos
49 textos (4035 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 06:03)
beto poeta